II CINE HORROR: O Cinema de Carlos G. Gananian


Carlos G. Gananian nasceu em 26 de abril de 1980 em São Paulo. Estudou cinema na FAAP. Na faculdade dirigiu dois curtas de terror, ambos em 16mm, Behemoth e Coagula. Behemoth teve carreira internacional em festivais como Screamfest Los Angeles e o Fantastisk Film Festival em Lund na Suécia (dois eventos que fazem parte da liga de festivais Mélies), além de premiações no Brasil, como no Festival Internacional de Curtas de São Paulo Kinoforum. 

Realizou seu terceiro curta, Akai em 2006. A história de um vampiro solitário atormentado por suas vítimas foi projetada no Fantasia, Toronto After Dark, Dead Channels e Buenos Aires Rojo Sangre, entre outros. O curta AM/FM marcou uma incursão do diretor na ficção científica. O curta sobre abduções alienígenas realizou sua estréia nacional no Fantaspoa. Seu último trabalho, Sol, é uma volta ao terror. No caso, uma história de exorcismo. O curta já passou por festivais nos Estados Unidos, Canadá e Portugal. 

Atualmente Carlos trabalha em projetos de longa-metragem como produtor e diretor na Timore AV. 


Filmografia: 
Behemoth (2003) 
Coagula (2005) 
Akai (2006) 
Am/Fm (2014) 
Sol (2017) 

Sol (Brasil, 2017)

Sinopse: Uma senhora religiosa, Solange (Thaia Perez), está sofrendo muito ao enfrentar uma situação bizarra que está acontecendo com seu marido Aristides (Ivan Giaquinto), encarcerado num quarto, ajoelhado num círculo desenhado no chão, as mãos amarradas, uma máscara cobrindo o rosto, agitado e balbuciando palavras estranhas. Sem se alimentar e com o corpo definhando perigosamente, ele é monitorado por dois padres. Um mais jovem, Dario (Lui Seixas), que está filmando o exorcismo, e outro mais experiente, Lucio (Plínio Soares), que tenta inutilmente expulsar o espírito maligno de sua vítima. Enquanto isso, para piorar ainda mais o cenário depressivo, vozes sinistras atormentam a Sra. Solange. 

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...